JR Pass | Como pegar trem Shinkansen no Japão

Vou falar neste post sobre Shinkansen (trem bala do Japão). Como mencionei no meu primeiro post sobre o Japão, a melhor maneira de conhecer o país é de trem. Estrangeiros tem direito a um passe de trem com desconto, mas obrigatoriamente devem ser adquiridos no seu país de origem. Chegando no Japão, não é possível comprar um passe com desconto. Vai ter que pagar o preço normal e acaba saindo caro!

Você pode comprar passes de trem com duração de 7, 14 ou 21 dias. Na compra você recebe um voucher que deverá ser trocado pelo JR Pass em um dos postos da Japan Rail Pass exchange office, que se encontram no Aeroporto Internacional de Narita ou em estações de trem, como a Tokyo Station.  Quando você troca o voucher pelo passe, deve informar a partir de qual data você deseja que o prazo de validade comece a contar. Se você vai chegar em Tokyo e permanecer por lá alguns dias antes de pegar um trem para ir para outra cidade, deve solicitar que a data de início do seu passe, seja a data da sua primeira viagem de trem. Esse planejamento deve ser feito ainda no Brasil, pois vai ser com base nesta data que você vai saber se precisará de um passe de 7, 14 ou 21 dias.

Como mencionei no meu primeiro post, existe a opção de comprar um passe da 1a classe, mas não acho que valha a diferença de preço. A classe econômica é muito confortável. Contudo, para garantir que você vai viajar sentando, deve ir a um posto do JR para definir datas e horários de todas as suas viagens, ida e volta e reservar os assentos. Eles já te dão todos os bilhetes para poder embarcar e você garante o seu assento porque acredite: tem trem que vai lotado e sem reserva você vai ter que viajar de pé! Outro ponto importante: se você não for fumante peça um vagão para NÃO FUMANTES! Imprescindível porque os vagões para fumantes tem um cheiro insuportável!!!

O momento da troca do voucher

Super aconselho trocar o voucher, emitir os bilhetes com reservas de assento na chegada no aeroporto de Narita. Eu sei que a viagem é longa e você não vê a hora de chegar no hotel e tomar um banho, mas depois é pior e explico porque.

No dia da chegada você não vai fazer nada mesmo, considerando o cansaço da viagem, então é melhor gastar tempo organizando a sua viagem agora que depois. Para uma viagem de 20 dias eu demorei uma boa horinha para trocar o voucher pelo passe e emitir os bilhetes. No aeroporto o posto é como uma agência de viagens, você se senta em frente a um consultor e faz todo o trâmite. Pelo que pude perceber, nas estações de trem é um guichê e você faz isso de pé. Outro problema é que nas estações, as pessoas que estão lá não são somente turistas e tem pressa para emitir o seu bilhete e seguir viagem. Por conta dessa vibe apressada, o funcionário que te atende também é mais impaciente. Eu sei porque deixei para trocar um bilhete depois e fui na estação de trem. Já no aeroporto, todos são turistas, e o cara que me atendeu falava bem inglês e foi super prestativo e paciente. Ajudou também que eu já fui com um excel impresso com o roteiro de viagem com data, destino, horário desejado para pegar o trem, tipo e número do trem e qual estação eu preferia fazer baldeação (troca de trem), quando necessário. Assim, ele ia só confirmando se tinha vaga no trem que eu queria ou se horário que eu pedi tinha sofrido alteração e emitia o bilhete. Evite baldeações apertadas, pois você corre o risco de perder o trem. Pelo menos 15 minutos de diferença. Eu peguei uma de 5 minutos e saí de um trem para o outro como uma louca desvairada, correndo com a mala na mão, tendo que descer escada! Sim , os trens são extremamente pontuais!!! Aff!

Aconselho essa lição de casa prévia. Eu entrei no site que tem o timetable dos trens para já predefinir.Quem não tem tempo ou paciência para isso, deve pelo menos definir um roteiro com data, destino e horário desejado, que o funcionário do JR vai te dar as opções de trem na hora. Sem isso, é impossível!

Vale dizer aqui que o JR Pass permite o uso dos trens do tipo Hikari e Kodama. O passe não dá direito a uso do Nozomi, o trem mais rápido de todos. No meu planejamento, selecionei sempre o do tipo Hikari.

IMPORTANTE: para trocar o voucher pelo JR Pass, você vai precisar apresentar o seu passaporte.

Viajando de trem

Quando chegar a estação e localizar a entrada do JR para o seu destino, você não deve usar as catracas como os japoneses. Em todas as estações, você vai observar a direita ou a esquerda das catracas, uma cabine com um funcionário. Apresente o seu passe com a data de validade aparente para o funcionário para que ele autorize a sua entrada (bom ter o passaporte a mão).

Tenha contigo o bilhete com o número e horário do trem. Você pode perguntar neste momento para qual plataforma deve se dirigir para pegar o trem, pois geralmente é bem complexo e os usuários de trem japoneses raramente falam inglês.

Se você for ocidental, o japonês, na maioria das vezes, é prestativo. Eu com essa cara de japonesa sofri. Até funcionário do JR foi grosso comigo me mandando perguntar em japonês, quando fui pedir informação em inglês. Meu japonês é bem básico, mas entendi o puxão de orelha em japonês… :/

Fique atento porque os trens são suuper pontuais. Se estiver atrasada e o trem estiver na plataforma, entre no primeiro vagão que estiver a sua frentte e caminhe por dentro do trem entre os vagões até chegar o seu. Tenha sempre o bilhete com o número do seu assento contigo, pois um fiscal vai passar para checar o seu bilhete durante a viagem.

Se você for trocar de trem antes de chegar ao seu destino final, pode ter que ter uma dose de paciência para localizar a plataforma do outro trem. Se não conseguir se localizar sozinho, peça ajuda. Pode ser que tenha que pedir a algumas pessoas antes de obter ajuda, pela barreira do idioma. O percentual de japoneses que falam inglês é bem baixo.

Malas

Viaje apenas com uma mala pequena. Em cada vagão há uma rack só para malas. Pode deixar tranquilo. Ninguém mexe. Fui com a nóia de brasileira paulistana, mas vi gente deixando notebook exposto e ninguém mexia. O Japão é super seguro.

Celular

Só no modo silencioso e não se pode falar ao celular no vagão. Existem cabines específicas para isso. Na cultura japonesa, falar ao celular em ambientes fechado como trem, metrô e ônibus é considerado falta de respeito ao próximo. Por isso, os japoneses usam muito sms e outros aplicativos de messaging. Existem vagões onde não se pode nem falar (vagão silencioso). Se for o caso, vai estar escrito no seu bilhete.

Vale a pena ler o meu primeiro post com dicas gerais para a viagem e agências onde comprar o passe em SP. Em breve, novos posts sobre o Japão. Vou focar em lugares para visitar em Tokyo e redondezas no próximo, já que vai ter muito brasileiro em poucos dias prestigiando o Mundial do Japão!

Veja também: