Curso de inglês no exterior: vale a pena? Quanto tempo de curso é necessário?

Muitas vezes me perguntam se vale a pena fazer curso de inglês e quantos meses são necessários. “Tenho que ficar 1 ano?”, “Um mês é pouco?”. A resposta é “Depende…”.

Uma coisa é certa: Vale a pena se você vai no momento certo e tem a atitude correta. Se você tem um inglês básico, só vale a pena se você puder ficar pelo menos 6 meses, para ter uma desenvoltura na comunicação, mas não um domínio completo, a fluência sonhada. Claro, que existem exceções. Pessoas com uma super facilidade em aprender idiomas e que em 6 meses estão falando como ninguém! Mas pessoas normais, precisariam de 1 ano aproximadamente.

Quem tem um inglês intermediário, 3 meses podem ajudar a chegar ao Avançado e 6 meses a uma boa fluência.

No meu caso, estava no final do intermediário quando fui estudar inglês em Los Angeles. No primeiro dia de aula, as escolas aplicam um teste para confirmar o nível declarado do idioma e aí dividem os alunos em nível (básico, intermediário e avannçado) e definem as turmas. Fiz o teste caí no Avançado e em 6 semanas de curso intensivo, já estava super desenvolta e com uma super fluência.

Outra recomendação
Em geral, as escolas oferecem 2 tipos de carga horária de cursos: semi-intensivo e intesivo (existem outros cursos mais específicos também, como preparatório para o TOEFL, mas estes são para quem já tem um bom domínio do idioma). O semi-intensivo tem entre 15 e 20 aulas de 50 minutos por semana e o Intensivo tem 30 aulas de 50 minutos por semana. Minha opinião: se vai estudar, faça o Intensivo. O semi tem pouca carga horária e acaba tendo uma carga de gramática mais fraca. Os cursos intensivos possuem aula no período da manhã e um pedaço da tarde (até por voltas das 15h). Os semi-intensivos, somente no período da manhã.

Importantíssimo
Os brasileiros têm a tendência de formarem um grupo e só falarem em português. Aí pode ficar 6 meses, 1 ano, ou mais, que o progresso será pequeno. Quanto mais português, infinitamente menor o progresso. Por isso, a atitude é um fator que conta e muito. Além de conviver com outras nacionalidades, pequenas atitudes podem gerar grandes diferenças. Vá a lojas, pergunte, converse, se exponha a situações do dia-a-dia, que demandem a prática constante do inglês. Você vai ver como isso faz a diferença.

Vou preparar ainda posts falando mais sobre os tipos de escola, suas atividades e acomodações. 🙂