Madri em 1 dia | O que fazer?

Passei uma temporada de 32 dias em Madri (a trabalho) e pude conhecer bem a cidade. Já tinha estado em Madri antes a trabalho e com a correria, acabei conhecendo a cidade em dias picados e em várias trips. Meu senso de localização na cidade, portanto, não era muito bom.

Dessa vez, fiquei na região central, em plena Gran Vía, rua principal de Madri. Foi perfeito, pois dali se pode ir a qualquer um dos pontos turísticos principais, facilmente.

Durante a minha temporada madrilenha, uma colega de trabalho e amiga pessoal, Fezinha, passou 15 dias trabalhando comigo no mesmo projeto e prometi a ela um “grand tour” por Madri e de quebra tentar ir a uma cidade vizinha. Ela teria apenas um final de semana.

Moro em São Paulo e claro que Madri é uma cidade bem menor, se comparada a enorme Sampa, mas mesmo assim, não tinha certeza ser possível fazer um city tour por Madri em apenas 1 dia. Afinal, conheci Madri aos poucos, nos tempos que tinha livre nas visitas anteriores.

Para minha grata surpresa, sim, é POSSÍVEL!!! Por isso, resolvi postar aqui um roteiro para 1 dia de visita a Madri.

Importante dizer que para um roteiro de 1 dia, as comprinhas tem que ser deixadas de lado e visitas a museus também não são possíveis. Mas se você tiver 2 dias inteiros, é super possível visitas rápidas, vendo o principal, ao Museu do Prado e a ao Museu Reina Sofia (onde está o La Guernica de Picasso) e fazer uma comprinhas básicas na Gran Vía (onde estão as principais lojas do tipo Zara, H&M e até a loja de departamento El Corte Inglés). Vou dedicar um post a compras em Madri mais pra frente. Para os homens, pode ser mais interessante em um segundo dia, visitar o Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madri. Existe um tour pago, que é bem legal! Neste caso, 2 horas de visita seriam suficientes. Tem uma alternativa pra conseguir ir a um Museu ou fazer compras rápidas que vou indicar no roteiro abaixo. Depende da sua preferência.

Recomendo também ficar em um hotel na calle Gran Vía. Fiquei no Vincci Capitol, super bem localizado, ao lado do metro e walking distance pra lojas, restaurantes, bares e principais pontos turísticos. Ficar neste hotel foi um ponto crucial para fazer tudo isso.

Importante ter em mãos: mapa do Metro de Madri (melhor pegar a versão de bolso na própria estação do metro, pois o do hotel é grande e não muito prático. Se você tiver um iphone existem 2 apps muito bons – um deles o oficial do metro “Metro Madrid” e o outro “MetroMadrid” da PhoneSoftware) e o mapa da cidade, que você consegue no seu hotel. Para consultar online, este site tem um mapa interativo muito bom.

O city tour por Madri de 1 dia vai exigir umas boas 12 horas. Assim, descanse bem na noite anterior para aguentar a jornada longa!

A Fe e eu começamos o tour às 9hs. Não antes de tomar um bom café da manhã no hotel. Começamos a jornada de 12hs às 9h, então, saindo do hotel na Gran Vía, ao lado da estação Callao do metrô, na Plaza Callao. Recomendo começar o tour pela visita ao Palácio Real. Isso porque o Palácio abre para visitação ao público às 10h da manhã. Assim dá tempo de chegar antes, caminhar pelos jardins tirar fotos de fora, inclusive da Catedral de Nuestra Señora de Almudena, que fica em frente e entrar na fila para a visita ao palácio.  Duas opções: ir a pé (do Vinnci dá pra fazer) ou pegar o metrô até a estação Opera. A visita ao palácio é paga.

Do palácio, a melhor opção é ir caminhando até a Calle Mayor e passar pelo Mercado de San Miguel (o equivalente ao Mercadão de São Paulo, mas bem menor e super charmoso). No mercado, dá para comer tapas deliciosas com tinto de verano (tipo uma sangria). O único incoveniente é que não tem onde sentar. Você come de pé e pode ser estar meio cheio de gente. Já será por volta do meio-dia ou um pouco mais, então daria para petiscar por alí (muito embora, o costume dos espanhóis seja de almoçar a partir das 14hs e jantar a partir das 21hs).

No nosso caso, decidimos ir a Plaza Mayor (ao lado do Mercado de San Miguel) e beliscar algo por lá. Sinceramente, acho a comida do Mercado melhor, mas a vantagem da Plaza Mayor e ter vários restaurantes e você consegue pegar uma mesa e sentar, o que é bom pra tomar um fôlego e descansar (dá pra relaxar por 1 horinha). Vale a pena experimentar a “caña con lemon”. É como se fosse o nosso chope com sprite. Gostoso e refrescante. Tiramos fotos, beliscamos, conversamos e de lá caminhamos pela Calle Mayor até chegar na Puerta del Sol, marco zero da cidade, assim como a Praça da Sé em São Paulo. Não deixe de tirar a foto com a estátua do urso –“El Oso y El Madroño” – símbolo da cidade de Madri.

Na verdade, acabamos entrando rapidamente em uma loja esportiva e na loja oficial do Real Madrid para tentar encontrar uma camisa do time para o pai da Fe. De lá subimos em direção a Calle Gran Vía para encontrar com um amigo brasileiro, que também trabalhava com a gente no projeto e tomamos um suco no Le Pain Quotidien.

Bom, seguimos caminhando pela Gran Vía até a Plaza das Cibeles. Lá vimos o Banco de España. Tiramos foto da Plaza e seguimos caminhando até a Puerta de Alcalá. Parada para mais fotos. Da Puerta de Alcalá, é só atravessar a rua e você já está em frente ao Parque del Retiro. Entre pelo portão principal (Puerta de Hernani, na Calle de Alcalá), pois o visual é mais incrível. Aqui você tem 2 opções: ver os pontos principais para sobrar tempo para um museu e/ou compras ou explorar mais a fundo o parque. Vou descrever o que é o “must see” abaixo (você pode visualizar os principais pontos turísticos do parque no mapa interativo). A Fe não tinha planos de visitar um museu, então, optamos por explorar mais o parque.

“Must see” no Parque del Retiro:

  • Embarcadero – uma graça! Com barquinhos na Primavera e verão!
  • Palacio de Cristal – Todo de vidro. Lindo!
  • La Rosaleda – Jardim de rosas (não vale a pena no outono e no inverno). No caminho, você vai ver a Fuente del Angel Caido.

Se a sua escolha for explorar o parque, vale a pena visitar os Jardines de Cecilio Rodriguez, onde você pode ver pavões lindos, passeando livremente. Outro ponto turístico é o Bosque del Recuerdo, um monumento construído em homenagem as 191 vítimas dos atentados a bomba de 11 de março de 2004 em Madri.

No mapa não encontrei um jardim com árvores ciprestes podadas, que é lindo.

Neste ponto do tour, recomendo voltar em direção a Fuente del Angel Caido para pegar uma saída do parque que dê na Calle de Alfonso XII, que dá perto do Museu do Prado. Da Calle de Alfonso XII, siga em direção ao Paseo del Prado, para chegar no Museu do Prado. No caminho, quase em frente ao Jardim Botânico há um barzinho (EL BOTÁNICO, na Calle Ruiz de Alarcón, 27, esquina com a Espalter), onde você pode parar, beliscar algo e tomar uma cervejinha, água ou refrigerante.  Nós paramos por por pouco mais de 30 minutos lá. Depois seguimos em direção ao Museu do Prado. Se você optar pela versão curta do parque, vai poder fazer uma visitinha ao museu. Se não, mesmo assim vale a pena passar em frente, tirar uma foto e seguir caminhando pela Paseo del Prado. Foi o que fizemos. No caminho passamos pela Plaza de Canovas del Castillo, onde está a Fonte de Netuno. Paramos para fotos.

Seguimos caminhando até chegar de novo na Plaza de Cibeles. De lá você pegamos o Paseo de Recoletos, uma caminhada bem charmosa. Seguimos caminhando, até vermos a nossa direita, a Biblioteca Nacional e logo em frente a estátua de Cristóvão Colombo, na Plaza de Cólon. Tiramos fotos e atravessamos a rua, em direção a Calle Jorge Juan, na lateral esquerda da biblioteca. Seguimos pela Calle Jorge Juan até a Calle Serrano. Pronto, chegamos ao bairro de Salamanca, a região mais cara de Madri. Para quem mora em São Paulo, seria o equivalente ao Jardins. Caminhamos pela Calle Serrano para ver as boutiques de luxo (Chanel e cia) e caminhamos um pouco pela Calle de Goya e Velázquez (bem rapidamente).

Terminamos o dia, comendo uma salada deliciosa no Le Pain Quotidien, que fica na Calle Serrano, mas há um restaurante divino na Calle Velázquez, 18, o Irocco. Bom, mas as dicas de restaurantes em Madri, vão ficar para um outro post.

Jantamos e pegamos um táxi de volta ao hotel.

Se você quiser ver as minhas fotos, tenho um álbum no flickr.

Bom, é isso! Muita coisa em um dia, mas possível!
🙂
Veja também: